ÁREA DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL C.E.M. VEREADOR SANTA

Em nossas pesquisas de campo à região central de Balneário Camboriú, que corresponde ao Percurso 6 do projeto Sombras, visitamos a Área de Conservação Ambiental localizada dentro do Centro Educacional Municipal Vereador Santa. É a segunda vez que nós, do OiA – Observatório de Interações no Ambiente, visitamos a Área, a primeira foi durante a realização do projeto “Córregos e Lagoas de Balneário Camboriú”, em 2017, com a intenção de identificar e registrar uma das principais nascentes do rio Marambaia, corpo d´água que cruza todo o centro da cidade.

Esta Área de Conservação Ambiental está protegida sob a legislação ambiental como sendo uma APP – Área de Preservação Permanente, foi criada em 2011 através do esforço da professora do Laboratório de Ciências da escola, Ivanete Franzon Marsango. Está situada na porção sudeste do terreno, composta por um conjunto arbóreo de mata nativa típica de Mata Atlântica, formando um pequeno bosque com área aproximada de 35 m², que promove a proteção de uma das nascentes do rio Marambaia.

Apesar da Área ficar em contato visual direto com o pátio da escola, segundo os próprios professores e funcionários, sua relevância ambiental não era reconhecida pelos alunos, nem como sendo local de uma nascente de rio, fato que revela um mal universal, a desconexão da sociedade com o ambiente natural em que está inserida. Grande parte da intenção da iniciativa da professora e da escola na criação desta área de proteção estava vinculada ao processo de sensibilização e educação ambiental da comunidade escolar e de toda a vizinhança, associada à própria recuperação e preservação do ambiente natural e sua biodiversidade.

Ao longo dos anos de crescimento da cidade, com o respectivo adensamento da mancha urbana no centro, as áreas verdes como esta foram imensamente atingidas, sofreram impactos que promoveram grandes desestruturações em seus ambientes, além de serem vítimas do esquecimento e abandono da comunidade de seu entorno. No momento da criação da proteção, a área verde da escola se encontrava bastante agredida e parte dos esforços propostos foi a reconstituição de sua cobertura vegetal, com ações de plantio que foram realizadas pelos próprios alunos.

Nesta última visita que fizemos ao local pudemos notar que a área sofreu significativa redução do bosque em comparação à visita de 3 anos atrás. Parte desta redução pode ter sido promovida pelo contínuo crescimento da cidade no entorno, que altera significativamente a permeabilidade do solo e o fluxo das águas subterrâneas, o que, por sua vez, impacta bastante sobre áreas de nascentes. Outro impacto sofrido nos foi relatado pela diretora da escola, a passagem recente de um ciclone pela região promoveu sérios danos às árvores da APP, muitas caíram e exigiu que outras fossem removidas pelo risco de futuras quedas, além da cerca de contenção de acesso que foi destruída.

Enfim, estas visitas realizadas pelos pesquisadores puderam revelar a vulnerabilidade que espaços naturais como este sofrem no meio dos espaços urbanos de crescimento acelerado como o de Balneário Camboriú. Reforçam a importância das ações de preservação como esta empenhada pela escola e a necessidade de políticas públicas que garantam a ampliação de esforços semelhantes, com projetos de sensibilização e educação ambiental consistentes e constantes. Da mesma forma, nós, enquanto sociedade, devemos assumir nossa condição de atores sociais empoderados e ativos na conquista da cidade em que queremos viver, para que ela seja mais equilibrada ambientalmente, inclusiva socialmente e resiliente aos processos de transformação futuros.

Vale destacar que, segundo o atual Código Florestal de 2012, entende-se por Área de Preservação Permanente, a área protegida, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a estabilidade geológica e a biodiversidade, facilitar o fluxo gênico de fauna e flora e proteger o solo. A manutenção das APP em meio urbano possibilita a valorização da paisagem e do patrimônio natural e construído (de valor ecológico, histórico, cultural, paisagístico e turístico). Esses espaços exercem funções sociais e educativas relacionadas com a oferta de campos esportivos, áreas de lazer e recreação, oportunidades de encontro, contato com os elementos da natureza e educação ambiental, proporcionando uma maior qualidade de vida e bem-estar às populações urbanas.

*Agradecemos imensamente a professora Ivanete Franzon Marsango pela iniciativa empenhada na criação da APP e a diretora Cláudia Regina Giordani pela atenção e informações disponibilizadas.

Área de Conservação Ambiental CEM Vereador Santa no momento em que foi oficializada a proteção, em 2011 (Foto: CEM Vereador Santa)
Área de Conservação Ambiental CEM Vereador Santa no momento da pesquisa do projeto “Córregos e Lagoas de Balneário Camboriú”, em 2017
Área de Conservação Ambiental CEM Vereador Santa no momento atual, durante a pesquisa do projeto “Sombras”, em 2020

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s